sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Etapas e Estrutura do Plano de Pesquisa

 Olá pessoal!
Segue a lista com os itens que devem constar no Plano de Pesquisa, ok?


Plano de Pesquisa (1ª Etapa)

1.            Tema:
2.            Título:
3.            Problema:
4.            Hipótese:
5.            Justificativa:
6.           Objetivo geral:
7.          Objetivos específicos:
8.          Referencial Teórico:
9.          Metodologia:
10.       Cronograma:
11.       Custos:
12.       Referências:

                                             Estrutura do plano de pesquisa

TEMA

É o aspecto do assunto que se deseja abordar, provar ou desenvolver.

JUSTIFICATIVA

A justificativa, num projeto de pesquisa, é o convencimento de que o trabalho de pesquisa é de fundamental importância, deve ser efetivado e é relevante para a sociedade ou para alguns indivíduos que se beneficiarão com a pesquisa. Deve aparecer como as informações geradas pela pesquisa são úteis e a quem. O que a pesquisa irá agregar e que decisões poderão ser tomadas a partir dos dados gerados.

A justificativa exalta a importância do tema a ser estudado, justifica a necessidade de se levar a efeito a realização de tal empreendimento e encaminha para a formulação do problema.

Deverá ser ressaltado no trabalho que existem outros trabalhos que evidenciam a importância do tema da pesquisa e estes devem ser referenciados.

PROBLEMA

O problema tem como origem uma situação que provoca questões sobre o tema e pode ser definido pela própria vivência do pesquisador ou indicado por profissionais ligados ao tema. A partir da identificação do problema, elabora-se uma questão específica a ser respondida pela pesquisa, ficando assim estabelecido um foco de estudo para responder a questão. As questões de pesquisa devem ser passíveis de respostas as quais devem ser obtidas com metodologia científica e/ou tecnológica/de engenharia.

HIPÓTESE

A hipótese é uma possível resposta à questão estabelecida no problema do projeto de pesquisa. Segundo Bello (2009, p. 23), é uma pré-solução para o problema levantado no tema escolhido para a pesquisa.

Dependendo da opção metodológica feita, a pesquisa não precisará obrigatoriamente estabelecer hipóteses. Para pesquisas do tipo levantamento ou pesquisas tecnológicas, por exemplo, hipótese não se torna um item formal obrigatório.

OBJETIVOS

A definição dos objetivos determina o que o pesquisador quer atingir com a realização do trabalho de pesquisa e devem corresponder às questões propostas.

OBJETO

É o que vai fazer. A partir do objeto é definida a área da pesquisa e a classificação em pesquisa científica ou tecnológica.

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Neste momento, o pesquisador busca, localiza e revisa a literatura onde obterá material bibliográfico que subsidiará o tema do trabalho de pesquisa, tais como livros, artigos científicos, revistas, jornais, normas técnicas, legislação, etc.

METODOLOGIA

A Metodologia, que também é chamada de Materiais e Métodos, é a descrição da estratégia a ser adotada, onde constam todos os passos e procedimentos adotados para realizar a pesquisa e atingir os objetivos.

Depois de realizar as opções, deve ser feita a descrição detalhada de como será feita a pesquisa (como os dados serão coletados, questionários, entrevistas, amostras e etc) e de como será feita a análise dos dados que serão obtidos. Deve ser incluído o cronograma, os recursos que serão necessários e a avaliação.

CRONOGRAMA

É um planejamento adequado do tempo que o pesquisador terá para realizar o trabalho, especificando as atividades a serem cumpridas.

ANÁLISE DE DADOS

Deve mostrar como será feita a análise, avaliação dos dados, com o que vai comparar, vai usar algum método estatístico? Como vai poder dizer se os resultados estão bons ou não, vai comparar os resultados com o quê, com especificações de alguma norma ou com os resultados de algum autor, ou com que outro tipo de pesquisa?

REFERÊNCIAS

A referência dos documentos efetivamente citados dentro do projeto da pesquisa é um item obrigatório para a elaboração do Projeto.

Liste pelo menos cinco referências principais (por exemplo, artigos de jornais, revistas científicas, livros, sites de internet, etc.) da sua pesquisa bibliográfica. Se você utilizar animais vertebrados, dê uma referência adicional sobre os cuidados com o animal.

Fonte: MOSTRATEC - http://www.mostratec.com.br/pt-br/edicao-atual/desenvolva-seu-projeto/plano-de-pesquisa#item-3

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Saberes diferentes

Um grande violinista, reconhecido mundialmente pelo seu talento musical, tinha um irmão que era pedreiro.
Ao saber dessa história, uma mulher que havia contratado o pedreiro para reformar sua casa, disse-lhe:
– Poxa, deve ser maravilhoso ter um violinista tão famoso como irmão. É interessante como numa mesma família, alguns nascem com mais talentos que outros.
O pedreiro então respondeu à mulher:
– É verdade. Meu irmão é um dos melhores violinistas do mundo, mas ele não entende nada de construção ou reforma de casas. E se ele não fosse tão talentoso com seu violino, tampouco poderia ter contratado um pedreiro tão competente quanto eu para construir a casa dele.

"Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes." (Paulo Freire)

Uma das maiores riquezas de uma equipe está na diversidade e complementaridade de talentos, competências e conhecimentos.
Em uma equipe, diversidade significa variedade e diferença. Peter Drucker costumava dizer que “a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”, e a melhor maneira de fomentar a criatividade em uma equipe, é através do respeito à diversidade, às diferenças, e aos saberes diferentes trazidos por seus integrantes.
Henry Ford dizia: “Se duas pessoas pensam exatamente da mesma maneira em uma equipe, uma delas é desnecessária”, ou seja, a riqueza de uma equipe está justamente na diversidade de ideias e pensamentos de seus componentes.
Portanto, estabeleça objetivos comuns, incentive a diversidade, respeite as diferenças, e fomente novas ideias, porque dessa maneira estará dando um grande passo em direção ao sucesso de sua equipe.

TAREFA INDIVIDUAL:

 Após estudos realizados em aula, experiências vivenciadas e com base na leitura do texto acima, responda:
* O que é trabalho em equipe?
(Não esqueça de se identificar: nome e turma).

Abraço,
Profe. Cíntia Maciel

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cidade Ideal - Turma 214

 
G1- Diogo, Edimilson, Rafaela e Mauro
G2- Vanessa, Luis Filipe, Guilherme Barc e Jonathan R - Ainda não apresentaram
G3- Maiara, Natália e William
G4- Márlon, Maurício, Renan, Thainá e Bruno
G5- Rodrigo, Dany, Diego, Uilson, Patrick R. S e Anderson
G6- Tatiane - Ainda não apresentou
G7- Samanta, Rosane, Amanda, Janaína, Jonathan B. e Lucas

Atividade proposta: Cada grupo teve como tarefa desenhar (criar) a cidade ideal, destacando os "serviços" que fossem prioridade. Logo em seguida cada grupo compartilhou sua ideias com o restante da turma. 
A atividade foi bem interessante, souberam argumentar e responder os questionamentos dos colegas muito bem.
Abraço,
Profe. Cíntia Maciel

Cidade Ideal - Turma 116


G1 - Jhonatan, Ana Carolina, Caroline e Anderson
G2 - William G., Brayan, Renato, Henrique K. e Willian S.
G3 - Rosalvo, Deivid K., Alex, Jean Santos e Aristtino



G4- Daniéli, Denílson, Juliana, Tatiele, David e Noli Gabriel
G5- Fabiano, Lindionara, Camila, Deise, Franciele e Gabriele
G6- Kauane, Andriele, Sabrina, Tiago e Kainan



Atividade proposta: Cada grupo teve como tarefa desenhar (criar) a cidade ideal, destacando os "serviços" que fossem prioridade. Logo em seguida cada grupo compartilhou sua ideias com o restante da turma. 
A atividade foi bem interessante, souberam argumentar e responder os questionamentos dos colegas muito bem.

Abraço, 
Profe. Cíntia Maciel

segunda-feira, 18 de março de 2013

A lição do fogo!


A lição do fogo
Um homem, que regularmente prestava serviços em um determinado grupo, sem nenhum aviso deixou de participar de suas atividades.
Após algumas semanas, o líder daquele grupo decidiu visitá-lo.
Era uma noite muito fria. O líder encontrou o homem em casa, sozinho, sentado diante de lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor.
Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas vindas ao líder, conduziu-o a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando.
Ao cabo de alguns minutos, o líder examinou as brasas que se formaram e cuidadosamente selecionou um delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado.
Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto. Aos poucos a chama da brasa solitária diminuía, ate que houve um brilho momentâneo e o seu fogo apagou-se de vez.
Em pouco tempo, o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um negro, frio e morto pedaço de carvão recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada.
Nenhuma palavra tinha sido dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois amigos.
O líder, antes de se preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil colocando-o de volta no meio do fogo.
Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos carvões ardentes em torno dele.
Quando o líder alcançou a porta para partir, seu anfitrião disse:
- Obrigado, por sua visita e pelo belíssimo sermão. Estou voltando ao convívio do grupo.
-Deus te abençoe!
Reflexão:


Aos membros de um grupo vale lembrar que eles fazem parte da chama e que longe do grupo eles perdem todo o brilho.
Aos líderes vale lembrar que eles são responsáveis por manter acesa a chama de cada um e por promover a união entre todos os membros, para que o fogo seja realmente forte, eficaz e duradouro.
 (Fonte: http://www.mensagensvirtuais.xpg.com.br/Reflexao/A-licao-do-fogo-1)

* O texto acima foi trabalhado com os alunos do Seminário Integrado (1º e 2º anos). Após a leitura, fizemos um debate sobre a importância do trabalho em grupo.

 Abraço,
Profe. Cíntia Maciel

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Início do ano letivo - 2013! Como é a escola dos seus sonhos?



A Escola dos meus Sonhos (Frei Betto) 

Na escola dos meus sonhos, os alunos aprendem a cozinhar, costurar, consertar eletrodomésticos, a fazer pequenos reparos de eletricidade e de instalações hidráulicas, a conhecer mecânica de automóvel e de geladeira e algo de construção civil. Trabalham em horta, marcenaria e oficinas de escultura, desenho, pintura e música. Cantam no coro e tocam na orquestra. Uma semana ao ano integram-se, na cidade, ao trabalho de lixeiros, enfermeiras, carteiros, guardas de trânsito, policiais, repórteres, feirantes e cozinheiros profissionais. Assim aprendem como a cidade se articula por baixo, mergulhando em suas conexões que, à superfície, nos asseguram limpeza urbana, socorro de saúde, segurança, informação e alimentação.

Não há temas tabus. Todas as situações-limite da vida são tratadas com abertura e profundidade: dor, perda, falência, parto, morte, enfermidade, sexualidade e espiritualidade. Ali os alunos aprendem o texto dentro do contexto: a Matemática busca exemplos na corrupção dos precatórios e nos leilões das privatizações; o Português, na fala dos apresentadores de TV e nos textos de jornais; a Geografia, nos suplementos de turismo e nos conflitos internacionais; a Física, nas corridas de Fórmula-1 e nas pesquisas do supertelescópio Huble; a Química, na qualidade dos cosméticos e na culinária; a História, na violência de policiais contra cidadãos, para mostrar os
antecedentes na relação colonizadores - índios, senhores - escravos, Exército - Canudos, etc.

Na escola dos meus sonhos, a interdisciplinaridade permite que os professores de Biologia e de Educação Física se complementem; a multidisciplinaridade faz com que a História do livro seja estudada a partir da análise de textos bíblicos; a transdisciplinaridade introduz aulas de meditação e dança e associa a história da arte à história das ideologias e das expressões litúrgicas. Se a escola for laica, o ensino religioso é plural: o rabino fala do judaísmo, o pai-de-santo, do candomblé; o padre, do catolicismo; o médium, do espiritismo; o pastor, do protestantismo; o guru, do budismo, etc. Se for católica, há periódicos retiros espirituais e adequação do currículo ao calendário litúrgico da Igreja. Na escola dos meus sonhos, os professores são obrigados a fazer periódicos treinamentos e cursos de capacitação e só são admitidos se, além da competência, comungam os princípios fundamentais da proposta pedagógica e didática. Porque é uma escola com ideologia, visão de mundo e perfil definido do que sejam democracia e cidadania. Essa escola não forma consumidores, mas cidadãos.

Ela não briga com a TV, mas leva-a para a sala de aula: são exibidos vídeos de anúncios e programas e, em seguida, analisados criticamente. A publicidade do iogurte é debatida; o produto adquirido; sua química, analisada e comparada com a fórmula declarada pelo fabricante; as incompatibilidades denunciadas, bem como os fatores porventura nocivos à saúde. O programa de auditório de domingo é destrinchado: a proposta de vida subjacente, a visão de felicidade, a relação animador-plateia, os tabus e preconceitos reforçados, etc. Em suma, não se fecham os olhos à realidade, muda-se a ótica de encará-la. Há uma integração entre escola, família e sociedade. A Política, com P maiúsculo, é disciplina obrigatória. As eleições para o grêmio ou diretório estudantil são levadas a sério e, um mês por ano, setores não vitais da instituição são administrados pelos próprios alunos. Os políticos e candidatos são convidados para debates e seus discursos analisados e comparados às suas práticas.

Não há provas baseadas no prodígio da memória nem na sorte da múltipla escolha. Como fazia meu velho mestre Geraldo França de Lima, professor de História (hoje romancista e membro da Academia Brasileira de Letras), no dia da prova sobre a Independência do Brasil, os alunos traziam para a classe a bibliografia pertinente e, dadas as questões, consultavam os textos, aprendendo a pesquisar. Não há coincidência entre o calendário gregoriano e o curricular. João pode cursar a 5ª série em seis meses ou em seis anos, dependendo de sua disponibilidade, aptidão e seus recursos. É mais importante educar do que instruir; formar pessoas que profissionais; ensinar a mudar o mundo que ascender à elite. Dentro de uma concepção holística, ali a ecologia vai do meio ambiente aos cuidados com nossa unidade corpo-espírito e o enfoque curricular estabelece conexões com o noticiário da mídia.

Na escola dos meus sonhos, os professores são bem pagos e não precisam pular de colégio em colégio para se poderem manter. Pois é a escola de uma sociedade em que educação não é privilégio, mas direito universal, e o acesso a ela, dever obrigatório.


Como é a escola dos seus sonhos?

O ano letivo está aí ... mais uma vez! Pois bem! Pensei no texto "A Escola dos meus Sonhos" para refletirmos um pouco sobre nossa prática pedagógica e recarregarmos nossas energias!!!

Abraço,
Profe. Cíntia Maciel